Pôr-do-Sol nas Redes Sociais - Curta-nos! Siga-nos!

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Pôr-do-Sol Unebiano debate a inclusão das pessoas com deficiência


Entrando na sétima edição, o Projeto de Extensão Pôr-do-Sol Unebiano irá discutir com a sociedade “A inclusão da pessoa com deficiência: desafios contemporâneos”, no dia 12 de Julho, às 17:00, no auditório do Campus XV da Universidade do Estado da Bahia – UNEB.
            O debate, que ficará por conta da Profª. Ms. Sílvia Lopes Benevides (UNEB), pretende analisar as dificuldades encontradas pelas pessoas com deficiência, seja no mercado de trabalho, seja para andar nas ruas e compreender as políticas que têm sido desenvolvidas em âmbito nacional para inclusão efetiva das pessoas.
            Sabe-se que as pessoas que sofrem com algum tipo de deficiência são grandes vítimas do preconceito, visto que a sociedade ainda não conseguiu eliminar, por completo, essas matrizes que foram historicamente estabelecidas, quando muitas pessoas eram abandonadas, internadas, julgadas como pecadoras ou possuídas pelo demônio, há séculos atrás. Além disso, o direito à educação e trabalho lhes era negado, sendo que, no segundo caso, na antiguidade considerava-se que era um ato de exploração empregar os deficientes e mais recentemente, estes não conseguiam emprego, em virtude de não possuírem escolaridade.
            Esse quadro de preconceito vem sendo revertido, conforme pesquisa feita pelo Instituto DataSenado (2010), na qual constatou-se que 59% dos 1.165 entrevistados consideram que tem havido uma diminuição das práticas de exclusão. Ainda segundo a pesquisa, o que mais atrapalha o aprendizado deles é a falta de qualificação dos professores, inexistência de equipe multidisciplinar nas escolas e as instalações inadequadas dos espaços, embora prefiram as escolas regulares.
            Algumas políticas têm conseguido inserir as pessoas com deficiência no mercado de trabalho, sobretudo, através da lei 8.213/91 que estabelece cotas de 2 a 5% nas empresas. Apesar de muitas pessoas falarem que eles são perfeitamente capazes de trabalhar e não trabalham porque querem viver dos benefícios do Governo, pois são preguiçosos, a pesquisa DataSenado revela que 88% dos entrevistados quer trabalhar de carteira assinada, desmentindo a crença de muitas pessoas.

Veja os registros do que aconteceu na 7ª Edição!



Prof.ª Ms. Silvia Lopes Benevides


Intérprete de Libras 


Participação da comunidade


           
            

Nenhum comentário:

Postar um comentário